Weby shortcut

Livros - Marlon Jeison Salomon

 

Livros - Marlon Jeison Salomon

 voltarvo

tar 

 180801_heterocronias_cover-1

Heterocronias – Estudos sobre a multiplicidade dos tempos históricos.

Marlon Salomon. Ano: 2018. 978-85-64865-14-3

A multiplicidade dos tempos históricos é a mais instigante questão historiográfica das últimas décadas. Se não a mais complexa, provavelmente a mais incômoda. Autores tão importantes e tão diversos quanto Gaston Bachelard, Alexandre Koyré, Fernand Braudel, Louis Althusser, Michel Foucault, Siegfried Kracauer, Reinhart Koselleck, Paul Ricoeur, Jacques Rancière, Jacques Le Goff, Krzysztof Pomian, Roger Chartier, entre outros, confrontaram-se com ela. Aberta no entreguerras, a dessincronização do mundo e da história não apenas tornava possível, mas exigia conceber uma nova ideia do passado e formular uma nova compreensão do conhecimento histórico. O livro organizado por Marlon Salomon reúne quinze estudos, de renomados especialistas, sobre temas e questões relativas à multiplicidade dos tempos históricos. Ele nos traz uma estimulante diversidade de reflexões e análises teóricas, epistemológicas, filosóficas e historiográficas, preenchendo uma importante lacuna. Se em nossos dias já não é mais preciso insistir no fato de que o tempo é a matéria constitutiva da história, é preciso, todavia, reconhecer que essa matéria é heterogênea, policrômica, esburacada, descontínua, multidimensional. Tal é a contribuição deste livro. E sobre ele se pode dizer, sem medo de exagerar, que está destinado a se tornar uma referência no campo das reflexões sobre tempo e história.

 De Bergson a Rancière - pensar a filosofia francesa do século XX - Fábio Ferreira de Almeida e Marlon Salomon

De Bergson a Rancière – Pensar a filosofia francesa no século XX.

Marlon Salomon e Fábio Ferreira de Almeida. Ano: 2017. 978-85-64865-11-2

O presente volume reúne ensaios que apresentam alguns dos grandes filósofos franceses, ressaltando questões levantadas ou inauguradas pelo pensamento francês de Bergson a Rancière. Uma obra, ousaríamos dizer, indispensável, pois apresenta de maneira rigorosa, mas ao mesmo tempo entusiasmante, o panorama das grandes correntes intelectuais e culturais que transformaram, refundaram, reelaboraram nossa maneira de ver o mundo, a ciência, a política, as artes, a literatura, etc. A influência que a filosofia francesa do século XX ainda tem já não precisa ser demonstrada. Resta-nos apenas, a cada leitura, descobrir ou redescobrir a riqueza de um pensamento sempre vivo, profundo e, ao mesmo tempo, incisivo e instigante, de inigualável atualidade. Este livro, contudo, não se pretende um inventário. Ele pretende, ao contrário, apresentar obras, movimentos e autores através de leituras, o que o transforma em uma apresentação, a um só tempo, de grandes pensadores franceses do século XX e da contribuição que eles ainda trazem ao trabalho de pesquisadores de diferentes partes do mundo e de diferentes gerações. O que confirma definitivamente o interesse e a atualidade deste livro. Assim, Bachelard e Bergson nos são apresentados em relação à poesia, enquanto Blanchot e Bataille em suas problematizações do estilo e da literatura. Lévi-Strauss, Deleuze, Derrida e Cavaillès são interrogados quanto às leituras e aos questionamentos de autores e movimentos, ao passo que que Koyré, Canguillhem e Dagognet são lidos, aqui, a partir de suas relações com as ciências e quanto às suas respectivas leituras filosóficas delas. Por fim, Simondon e Rancière são analisados sob o prisma de suas interrogações políticas. Obra que concilia, na ambição que ela alimenta, a profundidade das análises desenvolvidas por seus autores e a pertinências das filosofias de que cada um de seus capítulos trata. Por isso, também, obra original, na qual se encontram, lado a lado, como em diálogo, pensadores já confirmados e alguns jovens pesquisadores dentre os mais promissores no cenário intelectual da atualidade.

 Capa Koyré

Alexandre Koyré: história e filosofia das ciências.

Marlon Salomon e Mauro Condé. Ano: 2015. 978-85-8054-260-8.

Em 2014, ao completar 50 anos do seu falecimento, o eminente filósofo e historiador do pensamento científico, Alexandre Koyré, recebeu, em diferentes lugares do mundo, a distinta homenagem de ter seu pensamento vivamente abordado, debatido e, sobretudo, sendo fonte inspiradora para novas ideias e possibilidades. No Brasil, os autores que assinam os capítulos desse livro prestaram essa homenagem a Koyré.

Espera-se que esse livro possa contribuir para o estudo da rica obra de um dos mais importantes mestres da história da ciência. Nele, historiadores e filósofos da ciência analisaram o pensamento de Koyré em duas perspectivas complementares que nos permitem compreender o complexo lugar que o autor de “Estudos de história do pensamento científico” ocupa na historiografia da ciência. O primeiro grupo de autores focou a atenção na obra de Koyré abordando seus conceitos, ideias e contribuições. Tencionaram seu pensamento mostrando sua grande riqueza, abrangência e sofisticação. Contrastaram as ideias de Koyré com seu contexto e seu tempo para elucidar importantes pontos de sua obra que ainda permaneciam reticentes. Assim, constituíram um excelente quadro do pensamento do nosso homenageado. O segundo grupo procurou relacionar as ideias de Koyré com outros importantes pensadores da história e da filosofia da ciência do século XX, ora abordando autores mais próximos à obra de Koyré, ora autores mais distantes da própria tradição na qual nosso ilustre homenageado se insere. Esse exercício de contrastar Koyré com outros importantes pensadores mostrou-nos não apenas a grande influência modelar exercida por ele na história da ciência, como também evidenciou a importância da sua perspectiva epistemológica enquanto baliza da epistemologia do século XX.

 livro_marlon3.jpg

HISTÓRIA, VERDADE E TEMPO
Marlon Salomon. Ano: 2011. ISBN: 978-85-7897-032-1

História, verdade e tempo exemplifica bem os debates e os dilemas que atravessam o campo da historiografia em nosso tempo. Este livro traz aquela que é marca do estado da arte no campo dos estudos históricos contemporaneamente: a pluralidade, a diversidade, a dissonância. Lendo os textos que compõem o livro vamos encontrar não apenas autores de formações disciplinares diversas - filósofos e historiadores -, de distintos países e instituições, mas também diferentes posições quanto à compreensão e abordagem das temáticas que articulam os textos: a relação entre história, verdade, tempo e escrita ou narrativa histórica.

 capa de saber dos arquivos - final

 

SABER DOS ARQUIVOS
Marlon Salomon, Sonia Combe, Antonella Salomoni, Adi Ophir, Philippe Artières. Ano: 2011. ISBN: 978-85-64865-00-6

A digitalização da cultura e os diferentes debates em torno da abertura e do acesso aos documentos de um passado recente situaram os arquivos no palco principal da cena contemporânea. Esta questão, particularmente aguda, evidenciou problemas tanto de ordem moral (o acesso a uma verdade, identidade individual ou coletiva) quanto de ordem política (o direito de acesso aos arquivos de Estado nas sociedades democráticas). De modo não menos agudo colocaram-se também problemas de ordem epistemológica. O que é um arquivo? Qual é o processo de constituição de um documento em um arquivo que poderá ser consultado, estudado, analisado? Como fazer dele uma leitura pertinente que dê sentido ao trabalho historiográfico? O que é a verdade diante de uma história sem arquivos? Há história sem arquivos?

Em um livro anterior, Arquivologia das correspondências, Marlon Salomon já havia abordado esta questão sob a perspectiva do documento pessoal e privado. Aqui ele continua seu precioso trabalho, abordando agora o aspecto diretamente político e epistêmico dos arquivos. Para isto, reúne textos de historiadores e filósofos de diferentes universos e horizontes intelectuais, engajados todos em um esforço de pensar essa noção fundamental à constituição de nossa história.

 Alexandre Koyré historiador do pensamento - capa

 

ALEXANDRE KOYRÉ, Historiador do Pensamento
Marlon Salomon. Ano: 2010. ISBN: 8563383000

Este livro tem como objetivo abordar diversos aspectos do pensamento do filósofo e historiador russo Alexandre Koyré. Realizada por estudiosos brasileiros, a obra traz ainda a tradução de dois textos de Koyré e o estudo de Yvon Belaval sobre o pensador.

 livro_marlon5.jpg

 

ARQUIVOLOGIA DAS CORRESPONDÊNCIAS
Marlon Salomon. Ano: 2010.

Talvez se trate de inverter o sentido que a palavra arquivologia possui e definir o esboço de uma arquivologia menor. Tradicionalmente, arquivologia significa a ciência do arquivo. Ciência, precisamente, no sentido régio e clássico: ordenação taxionômica. Talvez pudéssemos inverter esse sentido destacando a singularidade do logos em questão num determinado arquivo. A arquivologia trataria, assim, de estudar e analisar o logos que se encontra implicado na singularidade de um arquivo. As cartas dos imigrantes se constituem como o arquivo que reúne um novo tipo de logos, de palavra, a dos homens comuns. Estes alçam a palavra, passam a ter voz. Os homens comuns deixam rastros de si. Arquivologia poderia ser, assim, a análise das palavras com as quais e pelas quais um arquivo é arquivo.

 Capa - marlon

A DECADÊNCIA DE SANTA CATARINA
Marlon Salomon, Henrique Luiz Pereira de Oliveira. Ano: 2010. ISBN: 9788532804945

A emergência de um discurso sobre a decadência da Capitania de Santa Catarina coincidiu com um conjunto de críticas aos princípios que nortearam as práticas do governo no século XVIII. Na perspectiva da nova concepção de governo, a causa da decadência da Capitania deixava de ser atribuída à indolência da população para ser atribuída ao modo como ela era governada: defender e manter o domínio do território não deveriam mais ser as preocupações fundamentais do Estado. Invertia-se a antiga noção segundo a qual o súdito era uma peça a serviço do domínio territorial do soberano. Doravante, o exercício do governo deveria ter por objetivo a conservação e o aumento da população, aumento que dependia exclusivamente de um conhecimento do território, do seu mapeamento, da construção de vias de interligação e da formação de núcleos populacionais. Estavam dadas as condições para a imigração no Sul do Brasil, no século XIX.

 livro_marlon7.jpg

ESCRITAS DA HISTÓRIA - Arte, Cultura e Memória
Marlon Salomon, Fabiana de Souza Fredrigo, Fabiane Costa Oliveira (Orgs.). Ano: 2009

Nossa época é permeada pelo dever de memória e constituída pelas políticas cultura. O regime das políticas é aquele que transforma todos os modos de ser da história e de todas as formas de arte em manifestação cultural.

É a urgência de uma reflexão sobre os nós e entrelaçamentos que recentemente relacionaram a arte, a cultura e a memória que anima as reflexões deste livro.

 livro_marlon8.jpg

 

ESCRITAS DA HISTÓRIA - Política, Identidades e Imaginários
Marlon Salomon, Fabiana de Souza Fredrigo, Fabiane Costa Oliveira (Orgs.). Ano: 2009

As reflexões reunidas neste livro se inserem em um movimento crítico atual que busca historicizar os modos singulares de como a política, a produção de identidades e a sua inscrição nas formas do imaginário se relacionaram em nossa contemporaneidade.

Até que ponto nós podemos falar de um dever de identidade? E de micro-política identitária? Quais são as novas formas de investimento político de produção do imaginário e de sua inscrição concreta no espaço social?

 leandro3.jpg

PROCESSOS DE TERRITORIALIZAÇÃO: ENTRE A HISTÓRIA E A ANTROPOLOGIA
Leandro Mendes Rocha, Marlon Salomon, Joana Fernandes Silva (Orgs.).  Ano: 2005. ISBN: 857103270X

A publicação tem o objetivo de procurar entender os territórios como frutos nunca definitivos das sociedades humanas, como frutos de intervenções e de jogos de relações de grupos e entre grupos humanos e também como as relações entre sociedades e meio ambiente forma diferentes possibilidades de territorialização. Considera então, as realidades ecológicas com as quais elas se relacionam. O livro, que abre um amplo campo de reflexões sobre algo importante no mundo contemporâneo: os processos de territorialização, é resultante das atividades desenvolvidas no quadro do programa PRODOC/CAPES/Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás, do qual recebeu diretamente apoio financeiro, em parceria com o projeto ERENA/CNPq. Os organizadores deste livro são pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás.

 elio_marlon.jpg

 

ESCRITAS DA HISTÓRIA - Cultura e Política
Élio Cantalício Serpa, Marlon Salomon.

Coletânea resultante dos trabalhos da VIII Semana de História realizada na Universidade Federal de Goiás, em 2004.

Reúne trabalhos que tratam da temática Cultura e Política, ao entrelaçar diferentes objetos de pesquisa num terreno complicado das experiências culturais e das práticas políticas.

 livro_marlon9.jpg

AS CORRESPONDÊNCIAS: uma história das cartas e das práticas de escrita no Vale do Itajaí
Marlon Salomon. Ano: 2002. ISBN: 9788532802316

O livro convida-nos a enxergar nessas antigas cartas, a ver na prática de escrita desses imigrantes, os modos de existência que se formavam nas colônias, a vida singular de um povo que havia se afastado de sua terra de origem, mas tornava aquele passado presente nas lembranças, no diálogo intermitente com aqueles que ficaram.

  voltar